Notícias


Simno e Cipem visitam Sicredi em busca novas linhas de financiamento para o setor

   10/12/2014
Fonte: Assessoria   

O presidente do Sindicato das Indústrias Madeireiras e Moveleiras do Noroeste de Mato Grosso (Simno), Roberto Rios, e o presidente do Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeira de Mato Grosso (Cipem), Geraldo Bento, mantiveram reunião nessa sexta-feira (05), com a diretoria da Cooperativa de Crédito Sicredi Univales de Juína.

O objetivo do encontro com o presidente Juares Cividini, vice José Olírio Alberton e o diretor executivo Edson Arrial, foi de buscar novas linhas de financiamento voltadas ao setor de base florestal, inexistentes até o momento em instituições bancárias da região.

De acordo com Rios, do Simno, a maior dificuldade está na aquisição dos projetos de manejo. "Precisamos de um sistema de financiamento para compra desses projetos de manejo já aprovados pelo órgão ambiental. Até o momento nenhuma entidade bancária possui e viemos trazer nossa proposta", declarou.

Ele também agradeceu a boa recepção que teve do presidente Cividini, que, anotou as reivindicações e prometeu repassar ao conselho no mês de janeiro. "Se isso acontecer vai contribuir muito com nosso setor, iremos deslanchar e teremos mais projetos liberados, porque quando existe dinheiro para fazer sai mais rápido ao contrário de quando a pessoa não tem como fomentar", disse.

Geraldo Bento, do Cipem, esclareceu que o Sicredi, por abranger toda a região, foi a primeira instituição a ser procurada. " Na verdade achamos interessante porque todas as instituições financeiras hoje não tem linha de crédito própria para o setor de base florestal, então um dos objetivos nosso da base florestal, do sindicato e do Cipem é buscar essas linhas de crédito junto as instituições financeiras, e como aqui no noroeste o Sicredi é uma instituição financeira que abrange toda a nossa área do setor produtivo, nós começamos por lá com o presidente Juares e o pessoal da gestão".

Bento informou que essas linhas de crédito teriam por objetivo financiar o setor, de uma forma geral. "Seriam usadas pra fomentar o setor de base florestal com linhas de crédito pra financiamento de manejo, linhas de crédito pra capital de giro, e de uma maneira geral, financiar também a gestão de execução dos manejos", revelou.

Para o presidente da Cooperativa de Crédito Sicredi Univales, Juares Cividini, a intenção dos representantes do setor de base florestal é louvável, já que estão pensando no futuro do negócio.

"Eles nos procuraram para se colocar a disposição como entidade, sindicato, e hoje temos em toda a região o setor planejado, inclusive o câmbio de alguns é feito conosco, e a intenção é muito boa, nós temos na região o produto, que é a madeira, e que deve ser industrializada na região, mas é preciso um interesse por parte do setor para que se faça um negócio em conjunto, como um parque industrial, por exemplo, e o Sicredi é parceiro, então eu acho que é válida essa conversa que tivemos aqui", frisou.

Cividini reforçou que todos os sindicatos, não só o de base florestal, deve se unir e pensar no futuro de nosso município. "Temos que estar juntos, unidos para pensar no futuro de Juína, não podemos pensar o hoje, temos que pensar no futuro, para que esse município continue produzindo, a agricultura está vindo aí, temos vários produtores plantando e quanto mais diversificarmos nossa produção o comércio todo vai ganhar, o Sicredi vai crescer e aumentando nossos recursos no município vamos ter mais condições de atender melhor nossos associados, em todos os setores", garantiu.

ONG Ação Verde

Também na reunião foi cogitada a ideia de trazer para o município de Juína a Organização Não-Governamental (ONG), Ação Verde, que atua em Cuiabá e Lucas do Rio Verde, com a intenção de revitalizar a Lagoa da Garça com ações em parceria com o Simno, Cipem, Sicredi e demais instituições interessadas em apoiar essa iniciativa.


"Essa ONG está fazendo um belo trabalho nessas cidades e vamos convidá-los a vir à Juína desenvolver um trabalho na Lagoa da Garça. Eu acho que todas as entidades devem abraçar a questão ambiental já que irá trazer mais qualidade de vida ao nosso município e ainda mostrará lá fora que nossa cidade está desenvolvendo ações visando bem estar melhor", cobrou Rios.