Notícias


MEC fez a 1ª avaliação in loco da Faculdade do Cooperativismo de MT

   22/06/2016
Fonte: Assessoria   

Foram dois dias de avaliação técnica  

 

Cuiabá (MT), 22/06/2016  O MEC- Ministério de Educação e Cultura, através da Coordenação de Avaliação dos Cursos de Graduação e Instituições de Ensino Superior da DAES/INEP enviou dois avaliadores credenciados à sede do Sistema OCB/MT, para realizar uma análise referente ao Ato Regulatório de Autorização Vinculada a Credenciamento do I.COOP  Faculdade do Cooperativismo de Mato Grosso. Foram dois dias, 20 e 21 de junho, de uma agenda cheia de avaliações do corpo docente e instalações físicas da faculdade, que irá funcionar na sede do Sistema OCB/MT, em Cuiabá (MT).

 

Os avaliadores do MEC, professores Paulo Cesar Moreira e Geraldo Eustaquio Moreira, foram recebidos pelo presidente do Sistema OCB/MT, Onofre Cezário de Souza Filho, pelo superintendente Adair Mazzotti, e pelos membros do Núcleo Docente Estruturante formado pela diretora geral, Janete Carmen Dalabarba, a coordenadora do curso, Neiva de Araújo Marques, a coordenadora de Educação Corporativa, Lúcia Laura de Moraes Teixeira, o Conselheiro Wilson José da Silva e o professor Walter Cácio da Costa Milomem.

 

Esse é o sonho de muito tempo, que começou com a busca para fazer a formação das pessoas que fazem e vivem o cooperativismo. Já investimos esforço físico, mental e econômico e vajamos pelo Brasil e o mundo em busca do melhor modelo e conceito para a formação educacional, disse o presidente do Sistema OCB/MT, aos avaliadores. Ele ressaltou que a nossa faculdade não será mercantil, mas um lugar para preparar pessoas de Mato Grosso, do Brasil e do mundo para o cooperativismo. Será um lugar para discutirmos ideias e conceitos, independentes de sexo, raça, religião ou política.  

 

O professor e avaliador do MEC Paulo Cesar Moreira, disse que está aqui em Mato Grosso com o olhar da avaliação e da regulação, como escalado pelo Inep, mas, como docente, como avaliador, e principalmente como integrante do sistema produtivo brasileiro, vejo o cooperativismo como um grande passo para que possamos trabalhar efetivamente com a distribuição de renda, com a qualificação das pessoas. Moreira ressaltou que o ensino superior trás o embasamento e principalmente uma condição de atuar criticamente para a resolução dos problemas propostos e um curso nessa área, e com esse direcionamento, ele pode inserir, e incluir efetivamente, jovens e adultos nesse sistema de produção.

 

O professor e também avaliar do MEC, Geraldo Eustaquio Moreira, acredita que o cooperativismo auxilia no desenvolvimento social, e é isso que procuramos, pois acho que uma sociedade para se desenvolver precisa buscar na educação os pilares para melhorar a distribuição de renda do país. Ele ressaltou que infelizmente somos bastante restrito em termos de educação voltada para o cooperativismo no Brasil, mas vemos que é algo que tende a crescer, porque as pessoas começaram a aperceber que é preciso desenvolver melhor essa parte da sociedade, com melhor distribuição de renda, e o cooperativismo é o que faz isso melhor, e Mato Grosso acaba inda na vanguarda e levando essa experiência exitosa para outros locais..

 

Professor Walter Cácio da Costa Milomem disse emocionado que, eu considero esse momento histórico para a criação da Faculdade do Cooperativismo de Mato Grosso. Acrescenta que o dia 20 de junho de 2016, quando recebemos a comissão do MEC para uma vistoria, e sabemos que dessa vistoria o próximo passo será a Portaria do MEC, e a partir daí, Mato Grosso passará a ter oficialmente uma Faculdade do Cooperativismo e isso é um passo muito importante.

O professo e Conselheiro do Sistema OCB/MT, Wilson José da Silva, disse que estamos há algum tempo lutando para a criação da nossa faculdade e considero este um momento histórico também, porque a avaliação é um passo muito importante para tirarmos do papel o nosso sonho. Depois dessa visita o Conselheiro espera que tenhamos a nossa aprovação garantida, para que em 2017 tenhamos a nossa faculdade funcionando.

 

A agenda dos avaliadores foi com uma programação extensa: reunião com os dirigentes e coordenadores da Faculdade; avaliação da infraestrutura da Instituição: salas de aula; laboratórios e ambientes de práticas didático-pedagógicas; protocolos e normas gerais de ação; vias de acesso; banheiros; auditórios; salas/gabinetes dos professores e tutores; áreas de convivência e lazer, lanchonete, ambientes de prática desportiva, recursos didáticos, etc.; laboratórios de informática e multimeios, verificação do material didático e avaliação das salas de Ambiente Virtual de Aprendizagem e ambiente presencial; verificação das condições de acessibilidade; avaliação da infraestrutura da instituição para deficientes e pessoas com mobilidade reduzida; plano de atualização tecnológica e de manutenção dos equipamentos; infraestrutura da biblioteca; acervo bibliográfico; verificação da documentação; e outros.

 

O resultado dessa vistoria técnica será conhecido já na próxima semana e nossa expectativa é muito boa, pois os avaliadores saíram com uma impressão positiva de todo processo, ponderou Janete Carmen Dalabarba. Ela explica que uma nova comissão de avaliadores virá para outra etapa, antes da portaria definitiva para o funcionamento da Faculdade, mas já estamos bem mais próximos da realização desse projeto de ensino superior específico para o modelo de nosso negócio, que é o cooperativismo.

 

A Faculdade do Cooperativismo terá como mantenedora o I.COOP  Instituto do Cooperativismo de Mato Grosso, composto pelo Sistema OCB/MT e as cooperativas. Essa será a segunda faculdade voltada para o cooperativismo no Brasil. A primeira é a Escoop, do Sistema OCERGS, no Rio Grande do Sul.